Pesquise no Google

quarta-feira, 25 de julho de 2018

[BLADOBLEH] Consumidores estão em alerta sobre Black Friday




Os sites só deverão vender produtos que tenham em estoque

Dia 23 de novembro de 2018 será a Black Friday no Brasil. Ação que entrou no calendário do varejo, no seu início, em 2010, gerava muita desconfiança, pois trata-se de algo novo e com descontos bem menores ao Black Friday americano. Hoje o cenário é outro. Além de ser uma data esperada pelos consumidores, eles estão mais atentos sobre a famosa sexta-feira do varejo.

Isso se deve aos órgãos que cuidam dos direitos dos consumidores. O Procon, por exemplo, não só orienta os compradores como fiscaliza o varejo para que os consumidores não sejam lesados. Uma das orientações é a realização de uma pesquisa da mercadoria meses antes, pois algumas lojas podem aumentar o preço e depois divulgar na Black Friday uma oferta com o preço que era praticado antes.

Outro fator é quanto à propaganda enganosa, a falsa publicidade. Se divulgarem que é a loja toda pela metade do preço, por exemplo, se realmente não estiver, a loja tanto física quanto a on-line poderá ser denunciada. Ano passado, este fator foi o maior motivo de reclamações no Procon (três em cada 10). 

Os sites só deverão vender produtos que tenham em estoque, portanto, se estiver disponível para a venda e depois ser comunicado que não há em estoque, o fornecedor também poderá ter problemas com reclamações e denúncia. Em 2017, 26,12% das queixas ao Procon foi por este motivo.

O ideal é que os consumidores não só pesquisem preços, e sim os fornecedores. Comprar em sites confiáveis e pesquisar o grau de satisfação da empresa no período da Black Friday são ótimas opções para evitar dor de cabeça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares